Passeio no jardim

Quem aspira o perfume 
deste longo jardim 
de palavras cortadas 
como se fossem caules 
vê no chão espalhadas 
as pétalas da rosa: 
estilhaços de mim. 

Nunca me completei 
e sonho o que seria 
se a mim me reunisse 
a mim mesmo somado 
como um ramo de flores 
ou a gota de orvalho 
na manhã condenada. 

Sempre me procurei 
dentro de mim perdido 
em meus próprios domínios. 
E no nunca me achar 
é que me encontro e sou. 
Só parto ao regressar. 
Só venho quando vou. 

Lêdo Ivo, In Crepúsculo Civil, 1990

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s