Incansável

Velho sonho de amor que me fascina, 
causa das mágoas que me têm pungido 
e que, entanto, conservo na retina 
como a fonte dum bem inatingido… 

Flama velada, cântico em surdina 
de um′alma triste, um coração ferido, 
nem pode haver linguagem que defina 
o que eu tenho, em silêncio, padecido! 

Mas, ainda que mal recompensado 
meu amor há de sempre desculpar-te 
humilde, carinhoso, devotado… 

Bendito seja o dia em que te vi, 
pois não há maior glória do que amar-te 
nem melhor gozo que sofrer por ti! 

Carmen Cinira, In Sensibilidade, 1935

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s