Seios e anseios

As vezes que morri 
boca derramada entre os teus seios, 
todas essas vezes 
não me deram luto 
porque, de mim, eu em ti nascia. 

Todos esses abismos, 
meu amor, 
não me deram regresso. 

Depois de ti, 
não há caminhos. 

Porque eu nasci 
antes de haver vida, 
depois de tu chegares. 

Mia Couto, In Tradutor de chuvas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s