Metamorfose

Ó homem que passas tranquilo na rua 
atrás de qualquer próximo perfume 
e chegas a casa sem incidentes 
ó homem que tens à espera de ti 
virada a esquina da rua e do tempo o teu próprio rosto 
não tenhas pena de quem morre 
de árvore para árvore 
e é diferente no principio e no fim da rua 

Ruy Belo, in Aquele grande rio Eufrates 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s