Questões de tempo

Quem perguntará por mim 
quando a última passar 
com seu facão? 
Que mulher grave desfalecerá 
vendo apagados meus olhos 
na multidão? 
Que homem de bem guardará 
o adeus meu 
seco na palma da mão? 
Quem lembrará minha voz 
coral ausente 
em qualquer canção? 
Quem se pagará a herança 
inteira ou em pedaços 
do meu indivisível coração? 
E a quem a flor 
de raiz em mim 
fará os acenos do não? 

Geir Campos, In Antologia Poética, 2003

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s