É o mar

É o mar que permanece – é sempre o mar 
das esperas, que acende 
os olhos, 
para no exausto coração deitar 
o silencio das praias e das ondas 
a lassidão; é o mar que permanece 
e faz da solidão da criatura 
a solidão da água 
que a circunda. 

Alphonsus de Guimaraens Filho , In Antologia Poética, 1963

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s