XIX – Arca-se-me o peito de pregões!

Arca-se-me o peito de pregões!
Como lâminas fulgindo ao sol de Inverno,
quanto me nega a palidez dos dias.
Minhas dores, colhi-as
mondando o campo das esperanças.

– São as de todos
nesta paz de lanças.

João José Cochofel, in “De os Dias Íntimos”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s