(Futuro: Essa transcendência)

Onde
começamos os caminhos
da transcendência?

no grito
inadiável sobre o tempo
ou no pequeno gesto
que sempre se principia?
onde
a imagem e o retrato
do sonho que nos habita?

ou ali onde a vida
se adia constantemente
e o mar e a madrugada
se enamoram nas areias?

Armando Artur, In O Hábito das Manhãs, 1990

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s