Poesia III

A poesia é meu destino,
Minha eira, minha chama,
Minha lavra, minha ira.
Ela também é meu breve instante
E eterno paradoxo.

Armando Artur, In A Quintessência do Ser, 2004

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s