(Redimensão)

Os astrofísicos
acreditam
na curvatura do universo.

E eu, qual quê, qual carapuça!…

Acredito na redoma de água
Que são os teus olhos
Onde inteiro me dissolvo.

Acredito no néctar e no pólen
que são o feitiço dos teus beiços
onde secretamente pouso,
e depois me inebrio
e me ignoro

Acredito no bosque e na gruta
que são a magia do teu delta
onde, impassível, aguardo pela
próxima estação

Armando Artur, In Os Dias em Riste, 2001

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s