Volta até Mim no Silêncio da Noite

Volta até mim no silêncio da noite 
a tua voz que eu amo, e as tuas palavras 
que eu não esqueço. Volta até mim 
para que a tua ausência não embacie 
o vidro da memória, nem o transforme 
no espelho baço dos meus olhos. Volta 
com os teus lábios cujo beijo sonhei num estuário 
vestido com a mortalha da névoa; e traz 
contigo a maré cheia da manhã com que 
todos os náufragos sonharam. 

Nuno Júdice, in ‘O Movimento do Mundo’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s