Lábios formando

Lábios formando 
O sonho de um beijo… 
Nunca ides além 
Do mero desejo…

Tocar outra boca 
Na nossa é tristonho 
Para quem conhece 
O sabor do sonho

Invisíveis bocas 
Que nos vêm beijar 
De um céu que só existe 
No nosso sonhar…

O que dão só essas 
Nunca tirarão… 
E que no seu dá-lo 
Nunca no-lo dão…

Deixai-me sonhar
Sem eu o saber…
Ou sabendo-o sempre…
Como pude ser.

10 – 1 – 1913 
Fernando Pessoa, In Poesia 1902-1917 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s