Mês: agosto 2014

Olan Mill – The Prescribed Individual

Se vejo não me pertenço

Se vejo não me pertenço;
Não sou, não sei querer.
E tu, aí mesma, fora,
Tu mesma é que és agora
Meu sonho do teu ser.
Fernando Pessoa In Poesia 1931-1935 e não datada , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2006

Lembrança

Meu esquecido amor,
onde andará perdido
o aço mordido da tua carne
que meus músculos temperam?

Que outros fogos te refundiram,
que outras mãos te moldaram,
e que tristezas de manhãs molhadas
de novo te coalhou as formas?

Meu esquecido amor,
perdido da minha memória e dos meus gestos.
Nem primeira nem última,
marco distante
na estrada da minha vida.

João José Cochofel, In “Búzio”, 1939.

Bruma

A tua carne cantou em mim
como se eu fosse um búzio
e tu um mar de som,
presente e longínquo.

E em ti
que vive hoje ainda,
a reavivar o instante sóbrio e perfeito
que a noite trouxe em teus olhos
debruçados sobre a minha solidão?…

Mas quando a noite a fechar-se
chama do mar a bruma rumorejante,
tuas mãos frias e recolhidas
talvez ainda tenham uma saudade muda
para mim.

João José Cochofel In “Búzio”, 1939.

Esta espécie de loucura

Esta espécie de loucura 
Que é pouco chamar talento 
E que brilha em mim, na escura 
Confusão do pensamento,
 
Não me traz felicidade, 
Porque, enfim, sempre haverá 
Sol ou sombra na cidade. 
Mas em mim não sei o que há.

6 – 10 – 1926

Fernando Pessoa In Poesia 1918-1930 , Assírio & Alvim, ed. Manuela Parreira da Silva, Ana Maria Freitas, Madalena Dine, 2005