Sede

 

Nesta vidraça
regressa a infância
com seus reflexos
de cores pálidas.
Refractada luz
que não lembro.
Invento-a e desfaço-a
antes que me fira
na mais funda sede
de outra vida,
de outro mundo,
de outra coisa.
 
João José Cochofel in “Uma Rosa no Tempo”, 1968

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s